Dicas de Planejamento Financeiro

Em diversas pequenas e médias empresas, a organização financeira quase que não aparece no topo da lista das prioridades. Quase a maior parte do tempo, preocupados em apenas criar produtos arrojados e serviços diferenciados, é comum esbarrar com empreendedores sem um controle de caixa que permita saber se todos os pagamentos estão corretos. Para não fazer parte dessa estatística, uma boa organização financeira é primordial para tomar decisões em momentos difíceis e manter o crescimento mesmo quando a economia começa a perder fôlego. Quando essa responsabilidade se junta às demais, como a gestão da produção e de funcionários, diminui-se o risco de não dar a atenção necessária a determinados fatores, como dívidas ou necessidades de investimento, o que poderia colocar o negócio em risco. Algumas dicas são:

Educação financeira
Tenha as suas finanças pessoais sob controle. Quem não souber administrar as próprias contas terá muita dificuldade para controlar o caixa da empresa.

Pró-labore
Determine o valor do pró-labore (remuneração do sócio ou gerente) e não faça retiradas extras do caixa da empresa. Não misture as finanças
pessoais com as finanças do negócio. Um erro é achar que, por ser dono do negócio, o empreendedor pode misturar as contas. Ao misturar as
duas contas, a lucratividade do negócio nunca vai acontecer. Além disso, ficará ainda mais difícil reinvestir o dinheiro, gerado pela própria operação, no negócio, sem buscar recursos da vida pessoal.

Conceitos
Saiba qual a diferença entre faturamento, lucro, gastos e investimentos. Faturamento é o total arrecadado pela empresa ao longo de um determinado período. Gastos são os custos de produção e despesas operacionais/comerciais. Lucro é o resultado positivo de faturamento menos gastos. Investimentos são os recursos destinados a aprimorar/expandir o negócio.

Demonstrativo de resultados
Estruture um demonstrativo de resultados para visualizar a real situação financeira e entender quais são as possibilidades do empreendimento. Dessa maneira, é possível planejar os investimentos no negócio sem afetar as contas do dia a dia.

Termos técnicos
Familiarize-se com termos técnicos, como capital de giro e ponto de equilíbrio. Capital de giro é o recurso disponível para sustentar as operações do dia a dia da empresa e ponto de equilíbrio é o momento em que as receitas da empresa são iguais às despesas, em outras palavras, a operação começa a se pagar, mas ainda não dá lucro.

Traçar Metas
Trace objetivos. Para alcançá-los, desenvolva planos de ação. Com isso, é possível amenizar erros ou ajustar erros de rota. Com essas metas,
é possível traçar um plano financeiro para ajudar na condução do negócio.

Dívidas
No caso de dívidas, verifique se o negócio está dando lucro e qual a sua capacidade para pagar as despesas. Se a companhia estiver no vermelho, estabeleça prioridades, considerando o custo de cada dívida e o risco do não pagamento. Se houver corte no fornecimento de algum serviço ou produto que prejudique a atividade do negócio, por exemplo, o melhor a fazer é buscar alternativas para quitar o débito.

Orçamento, Compras e Custos
É importante fazer um orçamento minucioso para se comparar preços e produtos/serviços oferecidos. O poder de avaliar e comparar preços de fornecedores naturalmente otimiza os custos e promove a rentabilidade da empresa. Adquira produtos e serviços que são realmente necessários e que estejam no planejamento da empresa. Antes de efetuar qualquer compra, o empresário também deve fazer uma boa pesquisa de preço. Procure reduzir os custos improdutivos, ou seja, aqueles que não se revertem em ganhos ao negócio ou ao cliente, e o desperdício (que pode ser de matéria-prima, de energia, etc.). Às vezes, pequenas mudanças geram grandes resultados.


Posted in Financeiro


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *